Os desafios para um registro neurofisiológico de qualidade

//Os desafios para um registro neurofisiológico de qualidade

Os desafios para um registro neurofisiológico de qualidade

2019-11-11T16:33:24+00:0011/11/2019|

O exame neurofisiológico de qualidade, independentemente do tipo de equipamento que se utilize, depende de uma série de fatores para que seus resultados sejam precisos e de qualidade.

Além de uma boa análise e do uso correto e acurado do instrumental, o registro dos sinais neurofisiológicos com o mínimo de ruído e interferência é um ponto chave que deve receber atenção especial por parte da equipe médica.

De forma simplificada, ruídos e interferências são geralmente classificados como ruídos. Na realidade, o ruído se refere à voltagem térmica inerente ao equipamento, enquanto as interferências surgem de fontes externas geradoras – como tomadas, ondas de rádio, TV e outros equipamentos.

Por diversos motivos, tanto os ruídos quanto as interferências aparecem com frequência nos exames, e prejudicam consideravelmente seus resultados. No entanto, existem alguns cuidados básicos que devem ser realizados para minimizar o problema.

 

Abaixo, confira quatro dicas simples de como melhorar a relação sinal-ruído e obter resultados mais precisos nos seus exames neurofisiológicos:

 

1) Usar equipamentos e acessórios de alta qualidade:

  • Atenção especial com os eletrodos – responsáveis pela captação do sinal.
  • Os cabos garantem a qualidade na transmissão do sinal gerado.
  • O uso de amplificadores e componentes de má qualidade figura como uma das principais causas de distorções de sinal.

2) Atenção com a rede elétrica:

  • Reservar uma tomada ou circuito com aterramento exclusivo para uso do equipamento de eletroneuromiografia.
  • Realizar checagens no aterramento das tomadas do local onde fica o equipamento.
  • Evitar problemas com 60 hertz: luzes florescentes são responsáveis por alguns tipos de interferência.

3) Melhorar o contato entre eletrodo e tecido corporal:

  • Solicitar ao paciente, nas instruções de preparo, a não utilização de cremes, talcos, perfumes e loções.
  • Limpar bem a pele do local onde será realizado o exame (com algodão ou lenços embebidos de álcool).
  • Remover as camadas de células mortas com material levemente abrasivo (gaze com álcool ou gel).
  • Fazer uso de gel nos locais onde será aplicado o eletrodo.

4) Diminuir o ruído dos cabos:

  • Mantê-los o mais curtos possível.
  • Organizá-los juntos, na forma de um único cabo.

 

*Foto: Attune Health